Bem vindos

O crescimento da Associação Orquidófila Piracicabana - ORQUIPIRA foi a mola propulsora para a criação deste canal de comunicação, já que realizamos inúmeras atividades e nem sempre a divulgação dos eventos era feita de modo adequado. Utilize este espaço para sugerir, opinar, criticar, divulgar eventos relacionados a orquidofilia. Queremos fazer deste blog uma ferramenta importante para cada aficcionado pelas orquídeas.

Saudações orquidófilas

Robinson Viegas dos Reis
Presidente da ORQUIPIRA

terça-feira, 8 de abril de 2014

Visita a um orquidário profissional

Mantendo a proposta da nossa associação de fomentar as atividades sócio-culturais, visitamos no dia 06 de abril o Orquidário da Serra, localizado no alto da serra de São Pedro. Local de paisagem exuberante, clima ameno e muita tranquilidade, mostra-se propício para o cultivo das mais variadas espécies de orquídeas, com alguma dificuldade para as plantas provenientes de locais muito quentes, como a região amazônica, pelo inverno mais rigoroso da serra. O amigo e associado Salvador Gorni, engenheiro de formação, transformou sua paixão pelas orquídeas em profissão, passando de simples colecionador, a um dos maiores e mais respeitado vendedor nas exposições deste país. Possui hoje 8 estufas de diferentes tamanhos, a maior com 720m² (16 x 45 m),  mas todas, basicamente,  com a mesma estrutura: cobertura com plástico difusor, sombrite, cultivo em bancadas e plantas molhadas com mangueira. A fitossanidade chama a atenção. Não vemos folhas pintadas, plantas doentes, mortas, excesso de mato nos vasos ou no chão do orquidário. Todas as plantas em floração estão estaqueadas e em perfeito estado para comercialização. São dezenas de milhares de plantas, prontas para seduzir qualquer orquidófilo incauto(todos nós). Molhar todos estes milhares de vasos com mangueira é a forma encontrada de unificar o cultivo, com maior ou menor fornecimento de água para cada lote de plantas ou até mesmo para vasos especiais. Enquanto o funcionário molha as plantas, ele observa o estado fitossanitário do lote, os botões que precisam ser estaqueados, qualquer problema no crescimento, necessidade de replante, etc. 
Preocupado com a qualidade da água e com os aspectos ecológicos, possui estoque de 160.000 litros coletados da chuva. São 8 caixas de 10.000 litros e 4 de 20.000 litros. Mesmo com toda esta capacidade de reserva, utiliza apenas a chuva coletada de 3 estufas, o que é suficiente para aproximadamente 6 meses de utilização. O volume de água armazenado aumenta continuamente e o Salvador revela que está em estudo a instalação de novas caixas, para otimizar a coleta, principalmente nesta estufa de 720 m², uma das últimas construídas. 
 
Iniciamos durante a última reunião da associação, uma discussão sobre as experiências individuais, na retirada de pequenos seedlings dos frascos e a sua aclimatação. A maioria dos presentes na reunião, relatou um sucesso maior no cultivo em vasos coletivos, do que em bandejas ou vasos individuais. Durante nossa visita ao Orquidário da Serra, pudemos observar ao vivo o sucesso do cultivo das mudas em vasos coletivos. O Salvador acredita que os resultados em coletivos, superam os de cultivo em bandejas pela uniformidade da umidade no substrato! Realmente notamos algumas células nas bandejas completamente secas e outras ainda encharcadas. Qual atitude tomar, molhar porque está seco ou esperar porque está encharcado? Fica evidente a diferença de crescimento e da sobrevivência das mudas entre as bandejas e os vasos coletivos. O substrato é o mesmo, musgo chileno, os cuidados de adubação, rega, defensivos. A única diferença é na forma de acondicionar: coletivo em vaso de barro baixo x bandejas de células individuais de material plástico. Veja as fotos e tire suas próprias conclusões.







Dentro de uma das estufas, encontramos uma caixa d'água, sobre a qual são cultivadas algumas espécies mais exigentes em umidade, mas que não gostas de ficar com os "pés" molhados por muito tempo. Mais uma boa ideia que pode e deve ser aproveitada, principalmente quando vemos a esplêndida floração deste Oncidium varicosum.
Uma prova da excelência do cultivo praticado no Orquidário da Serra é a quantidade de troféus ganhos em exposições de todo o país.

Como ninguém é de ferro, unimos o útil ao muito agradável e aproveitamos para queimar uma carne e tomar  muitas cervejas geladas. Os mais animados até alugaram uma van, para não correrem risco na volta para casa (logo na saída de São Pedro existe um posto da polícia rodoviária). Viva a "Lei Seca".


Em cada canto da propriedade notamos o cuidado e o zelo do proprietário. Centenas de orquídeas vegetam naturalmente nas árvores e era extraordinário a quantidade de oncidiuns em flor.  A cereja do bolo foi a contemplação de uma Sophronitis cernua amarela, planta da coleção pessoal do Salvador. Muito bem cultivada a planta cresce com força e gera anualmente um corte para a venda. Após o corte, ele aguarda o enraizamento antes de entregar a raridade ao feliz proprietário. Aos incautos parece fácil cultivar esta joia!. caso alguém deseje arriscar-se, terá de aguardar até 2015, pois o corte de 2014 já está enraizado e florido mas já tem dono e o de 2015 ainda não foi feito mas já deixei reservado.  Se voce  deseja desfrutar destes dias agradáveis, a ORQUIPIRA está de portas abertas, com as reuniões sempre nas primeiras e terceiras terças feiras de cada mês, as 19h30, no anfiteatro da secretaria Municipal de Abastecimento - SEMA, localizada na esquina da Rua Santa Cruz com a Dr Paulo de Moraes. Mês que vem tem mais!




2 comentários:

Anônimo disse...

Sem duvida foi um passeio maravilhoso e relaxante!!Como cheguei mais cedo fui dar uma volta pelo jardim e pelo pomar ;quase todas as arvores tinham orquideas amarradas e floridas.Uma tuia tinha uma touceira de bifrenaria e uma araucaria com varias aracnis com mais de 5 metros de altura.Uma beleza!!!!Bete

Louisette disse...

Interesting post, beautifull fotos