Bem vindos

O crescimento da Associação Orquidófila Piracicabana - ORQUIPIRA foi a mola propulsora para a criação deste canal de comunicação, já que realizamos inúmeras atividades e nem sempre a divulgação dos eventos era feita de modo adequado. Utilize este espaço para sugerir, opinar, criticar, divulgar eventos relacionados a orquidofilia. Queremos fazer deste blog uma ferramenta importante para cada aficcionado pelas orquídeas.

Saudações orquidófilas

Robinson Viegas dos Reis
Presidente da ORQUIPIRA

quinta-feira, 7 de março de 2013

Prosthechea sceptra

Procurando na internet, percebi que quase não temos imagens da Prosthechea sceptra e resolvi dividir com vocês a floração da minha planta que está indo para Batatais. Corte de uma planta do Orquidário da Serra, este é um clone de cores bem intensas, Planta originária do Equador, Colômbia e Venezuela, tem hábito epífita e raramente litofítico. Possui bulbos cilíndricos, achatados no sentido dorso-ventral, com 25 a 30 cm de comprimento, portando 2 a 3 folhas, elípticas, acuminadas, com 30 cm de comprimento e 2 cm de largura. A haste floral tem aproximadamente 40 cm com muitas floras não ressupinadas e perfumadas.
 
 
 
 
 
 

3 comentários:

Luis Renato disse...

Que linda florada!

Entrou para minha lista de desejos!

Abraços!
www.orquidariofaisca.com.br

pc disse...

esse pessoal que vai buscar as plantas na segunda e bem atrapalhado mesmo,ora levam minhas caixas,ora minhas plantas,dessa vez levaram as duas coisas,sera que o orquidofilo nao conhece sua propria planta?nao sabe qual e sua caixa?pois as minhas estao marcadas com meu nome,pois cansei de "perder" caixas!

Robinson disse...

PC
Entenda que a falha ocorre principalmente na hora de separar as plantas e deixa-las no local da retirada. Não é fácil separar 150 plantas de uma dúzia de associados, em 3 ou 4 pontos de retirada. Quando você deixa sua caixa, quem vai viajar não está lá para fazer a recepção, portanto ele não sabe o que é seu ou não. Deixe suas caixas no seu carro, que para a viagem nos temos as da associação. Um problema a menos. Outra sugestão é viajar um pouco mais e mostrar como é que se faz (brincadeirinha, "não vai morder a chumbada").